Como escolher o material de estudo

Deve-se tomar muito cuidado com a escolha do material de estudos para concursos públicos que deve ser: atualizado, estar de acordo com os conteúdos programáticos, de boa procedência, didático e direcionado para concursos.

 


ATUALIZADO


Verifique a data em que o material didático foi elaborado. Em disciplinas jurídicas (como Direitos ou Legislação), Geografia ou Atualidades esta atualização é fundamental. Estudar para estas disciplinas com material desatualizado pode levar o candidato a estudar uma informação errada. Lembre-se que em matérias que utilizam legislação são cobradas no concurso as leis em vigor até a data de publicação do edital.

Por outro lado, existem disciplinas que pouco mudam com o tempo, porém, alteram a forma e os assuntos cobrados. Portanto, também para estas disciplinas devemos dar preferência a materiais de estudos mais atualizados.


CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS


Existem matérias como língua portuguesa com o mesmo conteúdo programático em quase todos os concursos: entendimento de textos e gramática; outras variam muito. Muitas vezes os livros ou apostilas são elaborados com conteúdos programáticos diferentes do concurso que o candidato está se preparando, que poderá ser menor ou maior do que o exigido no concurso.

Escolha uma material de estudos que contemple o conteúdo programático do concurso que está interessado. Este conteúdo programático está no edital do concurso.


DE BOA PROCEDÊNCIA


Além de verificar a atualização e o conteúdo programático deve-se tomar um cuidado especial com a procedência do material didático.

Dê preferência a materiais didáticos elaborados por autores e editoras de boa procedência. Caso você não conheça:

· informe-se com quem já estudou com aquele material ou similar da mesma editora;

· visite o site da editora e/ou do autor;

· no caso de material impresso examine-o analisando o acabamento, a apresentação, o conteúdo e o registro na Câmara Brasileira do Livro.


PROVAS ANTERIORES


Como vimos, as provas anteriores são fundamentais no estudo para concursos públicos. É uma forma do candidato verificar a aprendizagem, adiquirir velocidade e se acostumar com as diversas formas e estilos.

Ao estudar uma matéria vista anteriormente, seja há muito ou pouco tempo, verifique a aprendizagem e aprofunde o conhecimento resolvendo questões de concursos anteriores similares aos que irá prestar, sanando as dúvidas conforme surgirem. Ao estudar um assunto pela primeira vez, após o entendimento, também parta para a resolução de questões de provas anteriores.

Inicialmente, dê preferência para as provas da mesma carreira e/ou da mesma empresa organizadora que irá elaborar o concurso para que está se preparando. A seguir, estude as outras provas.

Podem ser encontratadas em livros, apostilas, nos sites das empresas organizadoras e em sites especializados em concursos como: www.sigaconcursos.com.br


DIDÁTICO


Mesmo atendendo a todos os quesitos anteriores o material de estudos deve apresentar a matéria de uma forma didática e agradável. O mesmo material pode agradar muito a um leitor e não agradar a outro.

Escolha o material didático analisando um assunto que você conheça e um que não conheça. Tente estudar. Verifique se gostou e se conseguiu aprender com o método utilizado pelo autor.


DIRECIONADO PARA CONCURSOS


É fundamental que o material didático seja direcionado para concursos pois, como mencionamos anteriormente, as questões exigem uma abordagem diferenciada. Enquanto no dia-a-dia podemos utilizar códigos, leis, calculadoras e computadores, não podemos utilizá-los nos concursos. Assim é preciso estar atento para qual finalidade o material didático foi elaborado.

Um material jurídico que foi elaborado para um curso de direito, por exemplo, é direcionado para um futuro ou atual advogado que pode consultar leis e códigos mesmo em suas provas ou concursos jurídicos. Só que em muitos concursos que incluem matérias jurídicas as consultas não são permitidas.

A principal diferença na forma de estudar está no que devemos entender e no que memorizar.

Por exemplo, um estudante que nunca estudou Direito Constitucional fica em dúvida: devo entender o significado da lei, memorizá-la ou as duas coisas? A resposta é: depende do assunto e do concurso.

E como o candidato saberá? Estudando as provas anteriores. Com elas o próprio candidato poderá avaliar o que estudar. Se estudar com material didático que não foi elaborado especificamente para concursos estude juntamente com tais questões para ficar sempre dentro da realidade das provas.

 

Compartilhe Esse Conteúdo Com Seus Amigos

Acha Difícil Passar em Concursos? Conheça o Curso Onde Você Aprenderá o Passo a Passo para Triplicar as Suas Chances de Ser Aprovado em Concursos!

Deixe o Seu Comentário...