Concurso Receita Federal 2017 - Tudo Que Você Precisa Saber Para Ser Aprovado Em Um Dos Melhores Concursos Do País!

Concurso Receita Federal 2017

Atualmente, ser aprovado num concurso público faz parte do sonho da maioria das pessoas. Ainda mais com a instabilidade na área profissional em constante crescimento. Mas se passar em qualquer prova, já é considerado vantajoso, imagine ser aprovado nos maiores e melhores concursos do país?

Esse é o caso de cargos públicos como o de Auditor Fiscal e Analista Tributário, ambos da Receita Federal. Claro, alcançar essas funções é um desafio que necessita de dedicação e estudo, mas também é fato que trabalhadores nessa posição criam um verdadeiro e permanente divisor de águas em suas vidas.

Nesse artigo você vai saber como foram os últimos concursos, previsão dos novos concursos, sobre os benefícios da carreira e o que faz cada cargo bem como os requisitos necessários, quais matérias caem na prova além de dicas de como ser aprovado entre outras informações.

Guia Rápido

Últimos Concursos:

Veja os editais, provas, gabaritos, concorrência e todas as informações sobre os últimos concursos clicando nos links abaixo:

- 2014: Auditor Fiscal (278 vagas) e Assistente Técnico Administrativo (1026 vagas)
- 2012: Auditor Fiscal (200 vagas) e Analista Tributário (750 vagas)
- 2009: Auditor Fiscal (450 vagas) e Analista Tributário (700 vagas)
- 2005: Auditor Fiscal (1000 vagas) e Analista Tributário, Antigo Técnico (1.820 vagas)

Concurso Receita Federal 2017

- 2017: Auditor Fiscal, Analista Tributário e Assistente Técnico Administrativo (Maiores informações em breve aqui)

Os concursos da Receita Federal costumam ter um processo bem rápido entre o período de autorização e o fechamento. Em 2014, foram necessários apenas 15 dias após a autorização para o lançamento do edital e menos de 60 dias para a aplicação das provas.

Sabendo disso, é inaceitável deixar os estudos para quando o concurso for anunciado, pois seria impossível assimilar todo o conteúdo essencial para se destacar na prova em tão pouco tempo.

Para 2017, há previsão de concurso da Receita nos cargos de assistente, analista e auditor. Os quadros de pessoal da instituição andam defasados e precisam ser preenchidos, a expectativa é de que sejam abertas centenas de oportunidades para cada cargo.

No entanto a concorrência será altíssima por conta da grande expectativa que há em torno desse concurso, então quem não começar os estudos antecipadamente certamente terá poucas chances de aprovação.

Porque o concurso da Receita Federal é tão cobiçado?

A Receita Federal é um órgão vinculado ao Ministério da Fazenda que objetiva realizar a administração de tributos federais, previdenciários e do comércio exterior. Essa instituição também fica a cargo de prevenir o contrabando, sonegação fiscal, fraude comercial, tráfico de drogas e outras ilegalidades ligadas ao comércio internacional.

Entretanto, se os cargos oferecidos por essa organização parecem ser de grande responsabilidade, saiba que os benefícios adquiridos pelos profissionais que os exercem estão à altura para compensação, transformando-os nos mais cobiçados do país.

‣ Contrato Pelo Regime Estatutário

A Receita Federal emprega seus funcionários pelo regime estatutário, que dá estabilidade após três anos do exercício da função. Além de férias, aposentadoria com valor integral do salário, gratificações, licenças e adicionais variáveis de acordo com suas legislações.

‣ Ótimos Salários

São remunerações que fazem a diferença na vida de qualquer profissional. Para os novos auditores, os ganhos iniciais são por volta de 19 mil reais ao mês, podendo chegar a 26 mil, após o período probatório de três anos. Já para os analistas, o salário inicia em torno de 11 mil ao mês e pode chegar em 15 mil após o probatório. Além de benefícios como auxílio alimentação no valor R$ 458,00, bônus eficiência R$ 3 mil mensais, auxílio saúde R$ 101,00 por pessoa e benefício pré-escolar no valor de R$ 321,00.

‣ Possibilidade de Atuar em Diversas Regiões do País

Os candidatos aprovados tem a possibilidade de trabalhar nas unidades centrais, em Brasília ou nas demais unidades em todo o país. Facilitando a remoção através de concurso interno, após estágio probatório para outras localidades de interesse. São ao todo 29 unidades centrais, 10 superintendências regionais, 119 delegacias, 11 inspetorias especiais, 26 alfândegas, 43 inspetorias e 361 agências.

‣ Ascensão na Carreira

Candidatos que atuarem na Receita Federal podem crescer na carreira. Além da estabilidade e de altos salários, o órgão capacita seus servidores para melhor agirem na gestão tributária. O Programa de Capacitação e Desenvolvimento de Pessoas tem o objetivo de reciclar, atualizar e qualificar o conhecimento dos empregados, para que estes possam ter estrutura quando uma oportunidade surgir.

Outras vantagens como status, a grande quantidade de vagas disponíveis por concurso e um bom ambiente de trabalho são também relevantes e fundamentais na hora de decidir por uma carreira na Receita Federal.

Auditor Fiscal e Analista Tributário: O Que Faz Cada Cargo e quais são os requisitos

Auditor Fiscal da Receita Federal (AFRF)

Um auditor fiscal é responsável pela fiscalização tributária e alfandegária no Brasil em todo o território nacional. Esse servidor controla e fiscaliza os tributos federais e não somente o imposto de renda, como é comum pensar.

São muitas as oportunidades de atribuição na Receita Federal. Assim, o profissional poderá direcionar-se a sua área de graduação, como assessoria de imprensa, gestão de pessoas, julgamento de processos internos e várias outras de acordo com o perfil.

A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, divididas em 8 horas diárias. Sendo que funções como vigilância em aeroportos e equipes de repreensão atuam em horários diferenciados nos plantões.

Nesses plantões o regime é de 24 horas de serviço com folga de 72, ou ainda, 12 horas trabalhadas com folgas de 36. Criaram-se recentemente projetos de teletrabalho home office, onde o auditor realiza sua função de maneira remota em casa. Embora o projeto esteja no início, acredita-se que possa ter expansão nos próximos meses.

O plano de carreira de um auditor fiscal, a partir de 2017, consiste de 9 níveis, sendo que é possível passar de um nível para o outro em apenas 12 meses, conseguindo chegar ao teto em 10 anos. Sem levar em conta os 3 anos probatórios.

Para ser um auditor, é preciso graduação de nível superior em qualquer área, inclusive tecnológica sem a necessidade de prova de títulos. Porém, não se sabe nada com relação ao próximo.

Analista Tributário da Receita Federal (ATRF)

Já o analista tributário é o servidor responsável por atender o contribuinte na Receita Federal. Trata-se de um agente que atua na distribuição alfandegária, encarregado pela entrada e saída de produtos, veículos e pessoas que transitam pelo exterior ou provêm dele, além da cobrança de tributos relacionados a essas operações.

Os analistas também são incumbidos da fiscalização da importação e exportação, admissão temporária de veículos e embarcações, análise de risco de cargas, controle de segurança, verificação de mercadorias, alteração de sistemas, prestação de informações entre outras funções alfandegárias.

Os turnos são geralmente de 6 horas diárias, totalizando 30 horas semanais. Porém, para algumas funções ocorre a carga de 40 horas – 8 horas diárias de trabalho, além de plantões de 12 horas trabalhadas para 36 horas de descanso. Ocasionalmente há operações de repressão, apoio a outras unidades ou cursos.

Como requisito para assumir o cargo, é necessário ter idade mínima de 18 anos, ser formado em qualquer curso do ensino superior, além de conhecer Direito Tributário, Administrativo e Constitucional para ser aprovado.

Apesar de ambos os serviços serem muito vantajosos, a diferença está nas atribuições de cada cargo, especificando as do auditor fiscal. Resta ao analista tributário as funções que não são competência do auditor, ou seja, o analista é um braço direito dentro da Receita, uma vez que não pode transferir todas as responsabilidades ao auditor.

O que estudar?

Geralmente, tanto a prova de auditor quanto a de analista apresentam o mesmo conteúdo, sendo que a diferença está na dificuldade com que são apresentadas. Assim, quem está estudando para fazer a prova de auditor pode prestar também para analista, porém não conseguirá realizar o contrário, uma vez que, as matérias do concurso de analista não cobrem todas as exigidas para auditor.

O que estudar para a prova de Auditor Fiscal

Para auditor, as matérias estudadas são Língua Portuguesa, Espanhol ou Inglês, Raciocínio Lógico Quantitativo, Administração Geral e Pública, Direito Constitucional, Administrativo e Tributário, Contabilidade Geral e Avançada, Auditoria, Legislação Tributária, Comércio Internacional e Legislação Aduaneira.

Independente da prova prestada, os maiores conteúdos pedidos serão língua portuguesa e língua estrangeira. Também, matérias específicas devem ser assimiladas com atenção, como legislação tributária e contabilidade geral e avançada. As principais são:

- Evolução dos modelos/paradigmas de gestão: a nova gestão pública;
- Governabilidade, governança e accountability;
- Qualidade na Administração Pública;
- Mensuração de desempenho e controle orçamentário;
- Elaboração, Gestão e Avaliação Anual do PPA;
- Modelo de gestão do PPA;
- Tipos de Constituição;
- Organização dos Poderes;
- O Poder Legislativo;
- A fiscalização contábil, financeira e orçamentária;
- Política de Segurança da Informação no âmbito da Receita Federal do Brasil;

Podem ser obtidos no total, 70 pontos na prova de conhecimentos gerais e 140 pontos no exame com questões específicas. É importante não ser eliminado em conhecimentos gerais, que costumam trazer 10 perguntas de cada matéria.

Na prova discursiva, tudo que estiver no enunciado deve ser respondido, sendo que os textos geralmente são longos e costumam tomar tempo. O período estimado de resolução para cada questão é de 2 minutos e meio e o mínimo de acertos para cada disciplina deve ser de 4 questões.

Resolver provas anteriores do concurso pode trazer certa segurança na preparação e nos estudos, pois assim o candidato conhecerá o perfil e os detalhes do exame, se familiarizando com sua abordagem ao tratar do conteúdo.

O que estudar para a prova de Analista Tributário

Para analista, as matérias estudadas são Língua Portuguesa, Espanhol ou Inglês, Raciocínio Lógico, Direito Constitucional e Administrativo, Administração Geral, Direito Tributário, Contabilidade Geral, Legislação Tributária Aduaneira e Informática.

No caso de concursos intensos, feito este, é necessária preparação em médio e longo prazo, inserida muita dedicação e disciplina de 6 meses a 2 anos. Para quem está no início, o ideal é começar pelas matérias básicas que servirão de suporte em outras específicas. Sendo elas:

- Língua Portuguesa;
- Direito Constitucional;
- Direito Administrativo;
- Direito Tributário;
- Contabilidade Geral;

Essas matérias devem ser estudadas entre 1 e 2 meses, anexando depois o resto do conteúdo. Não é recomendado passar mais de 2 semanas sem estudar cada uma, pois o entendimento e a repetição serão os elementos chave na assimilação total. Também é fundamental se dedicar ao conteúdo com maior dificuldade e aqueles que poderão trazer mais pontuação na prova.

Qual foi a concorrência dos últimos concursos

O último concurso para analista tributário aconteceu em 2012, sendo que foram registrados 93.693 inscritos para 750 vagas, trazendo uma média de 125 candidatos por vaga.

Para auditor fiscal, nesse mesmo ano, 26.313 interessados se inscreveram para as 200 vagas disponíveis, formando uma relação de 131,56 candidatos por vaga. Lembrando que, ambas as provas foram no mesmo dia, diminuindo o número de inscritos que poderiam fazer os dois exames.

Mas não há surpresas sobre o constante aumento no número de inscritos a cada nova edição do concurso, por isso, se preparar será cada vez mais fundamental para atingir resultados positivos.

Entretanto, a alta defasagem e um grande percentual de aventureiros, maquiam os verdadeiros números dessa disputa. Em 2012, por exemplo, dos 26.313 inscritos, compareceram à prova apenas 14.109 candidatos.

No ano de 2014, 68.540 se inscreveram para o cargo de auditor, criando uma relação de 125 candidatos por vaga. Desses quase 69.000, apenas 31.943 candidatos compareceram, passando a relação de 125 para 58.

Em 2009, a relação candidato x vaga para auditor foi de 115 inscritos e assim são, sempre na casa dos 100. Contudo, levando em conta os desistentes e marinheiros de primeira viagem, essa média cai pela metade. Resumindo em uma frase – estudar é o segredo!

Como funciona a prova aplicada pela ESAF

A Escola de Administração Fazendária (ESAF) é uma instituição do Ministério da Fazenda responsável por recrutar e selecionar em todo o território brasileiro servidores para funções na gestão pública.

Esse órgão, conhecido como banca, vem aplicando em todas as edições provas de concursos para a Receita Federal, cujas regras não variam muito em determinados pontos.

Geralmente, o aproveitamento mínimo exigido é de 60%, sendo que a nota de corte fica a critério do número de candidatos que ultrapassaram esse percentual até atingir, em ordem decrescente de pontos, o máximo de classificados permitidos no referido certame.

Como já citado, é preciso acertar no exame 40% de cada matéria, atingindo o total de 11 matérias. Tanto a prova objetiva como a discursiva precisam de um aproveitamento de 60%.

Todo o conteúdo deve ser levado a sério, pois matérias que não são consideradas de peso precisam atingir a mesma porcentagem de aproveitamento que as outras.

Já a prova discursiva, representa por volta de 22% da nota final, fazendo diferença na lista de classificação. No último concurso, esse exame foi composto de duas perguntas de 20 a 40 linhas, valendo 30 pontos cada – 10 pontos para português e 20 pontos pela resposta no geral.

Um período foi designado para sua resolução, onde a correção foi feita partindo do principio dos 10 pontos de português que foram sendo perdidos de acordo com os erros encontrados.

Apenas as 2 perguntas foram apresentadas, sem mais redações. Porém é bem possível que a próxima prova apresente o desafio através de tópicos guiados para melhor domínio do tema.

Editais costumam variar com os anos, desejando se adequar as necessidades da referida edição. Sendo assim, mudanças podem ser compreendidas e anexadas inesperadamente na próxima prova. O importante é estudar e estar afiado, para que quando as alterações forem confirmadas, seja possível adequá-las com a mesma rapidez com que o certame é anunciado e executado.

Quais são as 5 principais dicas para ser aprovado nesse concurso?

1 - Conhecer a padronização

resolver simulados e provas anteriores ajudam a conhecer o estilo repetitivo dos exames aplicados pela ESAF. Acostumar-se com o grande volume de textos, pode treinar o candidato para a rápida compreensão e menor exaustão.

2 - Fazer um ótimo curso preparatório

estudar em um curso preparatório pode deixar o inscrito mais confiante e bem preparado, ao compartilhar histórias e conhecimentos que não seriam possíveis adquirir sem o respaldo de professores capacitados e interessados no sucesso de seus alunos.

3 - Controlar o tempo

Com perguntas longas, ficar de olho no tempo é mais que necessário para não se perder, acarretando num desespero que poderia ser evitado. Resolva rapidamente as questões mais fáceis, indo posteriormente para as de maior dificuldade. Porém, lembre-se que o foco é terminar a prova com o maior aproveitamento possível.

4 - Abusar do psicológico

As provas do ESAF, além do intelecto, exploram também o psicológico. Muito detalhistas, eles deixam claro que qualquer desatenção pode causar na perda da questão. Por isso, é importante intensificar a paciência, o raciocino lógico e a calma se quiser chegar inteiro até o final.

5 - Atentar para as especificações de cada disciplina

Cada matéria é cobrada de maneira especifica nesses concursos. Assim, língua portuguesa costuma trazer textos longos para continuação da lógica de estruturação. Direito em geral, também com textos enormes, exige a Jurisprudência do STF, além da doutrina dos juristas. Informática pede noções de Linux e exatas faz marcação pesada nas fórmulas. Sem elas não há resolução.

Qual o melhor curso preparatório para esse concurso?

A preparação para um concurso acirrado como esse depende, além do esforço dos candidatos, de uma equipe especializada, que sabe o valor do sonho de aprovação. Que apoie e estimule, explicando os macetes na troca de experiências e conhecimentos adquiridos ao longo da jornada.

Sendo assim, os candidatos que desejam se preparar em alto nível para ter boas chances de aprovação precisam de um curso especializado em concursos com grande número de aprovados nesse e em outros exames, como é o caso do curso da Estratégia Concursos que atualmente recomendamos por ser o curso online que mais aprova candidatos em concursos de ponta.

Além de tudo, o curso é online, possibilitando vantagens relacionadas à liberdade de horário e local de estudos, se adequando a qualquer realidade dos inscritos. O preço também é muito menor do que os cursos presenciais, por isso, o bolso fica protegido enquanto a recompensa da aprovação não vem. As aulas são atualizadas e focadas especificamente para cada concurso. Clique aqui e conheça os cursos online da Estratégia Concursos.

Caso opte por estudar apenas por apostilas, recomendamos as apostilas da Editora Opção, cuidado com apostilas vendidas em bancas de jornais ou sites desconhecidos, muitas vezes são apostilas de baixíssima qualidade com textos copiados da internet sem nenhum direcionamento útil para os estudos.

Caso tenha dificuldades em montar um planejamento de estudos, se organizar para estudar diariamente com discplina, manter o foco e a concentração, fixar as matérias estudadas na memória e não saiba quais são as melhores formas de resumir e revisar as matérias bem como estudar mais em menos tempo eu aconselho a ver esse vídeo urgente enquanto ainda está disponível.

Bons estudos e muito sucesso!!!

Curso Online Receita Federal