Dicas
Junte-se a Milhares de Concurseiros Inteligentes e Receba Atualizações, Materiais e Dicas Imperdíveis sobre Como ser APROVADO em Concursos (é grátis)!

Dicas para avaliação psicológica

Não existe uma maneira de "treinar" para uma avaliação psicológica. E, mesmo que se tentasse, isso é totalmente antiético. Então a maneira de se preparar para este momento consiste em analisar as possibilidades de se apresentar de maneira condizente com o perfil necessário para ocupar o cargo. 
Segue um as dicas:

 

1º- verifique com atenção as atribuições do cargo ao qual está concorrendo.

 

2º- pense num tipo de postura, de comportamento que seja adequado para assumir e cumprir as atribuições do cargo. Faça uma lista com as características que julga pertinentes ao cargo. Geralmente os examindores traçam alguns critérios de definição do perfil psicológico, que serão aferidos na Avaliação Psicológica. Por exemplo:

 

Cordialidade: É relacionar-se com urbanidade, disponibilidade, harmonia e equilíbrio nas suas interações com os usuários, colegas e sociedade em geral.

Responsabilidade: É portar-se com profissionalismo e ética, adotando uma postura de prestador de serviços e solucionador de problemas, a fim de fortalecer a credibilidade da Empresa.

Melhoria contínua: É atuar com eficiência e eficácia na promoção de uma mobilidade segura, por meio do trabalho integrado e da valorização do funcionário, com foco nos resultados para a sociedade.


Motivação: É demonstrar comprometimento com a instituição, interesse pela carreira e pela função que exerce.

Comunicação: É saber ouvir bem como transmitir os seus pensamentos de forma clara e convincente, quer verbalmente, quer por escrito. Expõe idéias com argumentação objetiva, lógica e convincente.

- Empatia: É a capacidade de compreender as outras pessoas e reconhecer as emoções que essas manifestam, tratando-as com a consideração que esses sentimentos envolvem. Saber “colocarse no lugar do outro”.

Postura: É a capacidade de adotar comportamentos que condizem com a situação enfrentada, manifestando atitudes eticamente corretas e que respeitam as pessoas e os ambientes. Ter uma apresentação pessoal cuidadosa e adequada ao nível profissional que ocupa e a instituição a qual representa.

- Tomada de decisão: É a capacidade de avaliar a situação apresentada, prever os acontecimentos, definir objetivos e metas e como atingir esses objetivos, estabelecendo métodos e procedimentos específicos. Adapta-se às adversidades e às situações novas, ajustando-se a elas de forma produtiva, sabendo intermediar adequadamente as necessidades exigidas pelas circunstâncias.

Equilíbrio emocional: É a capacidade de enfrentar situações adversas tendo controle dos sentimentos e das reações. Centralizar as emoções e desta forma manter-se em harmonia consigo mesmo, com as pessoas e o meio ambiente, além de conviver com os problemas de forma pacífica e ao mesmo tempo de forma ativa.

Disciplina: É a capacidade de respeitar as regras, políticas, normas e autoridade estabelecidas e provadas.

3º- Agora faça uma lista com as características do seu comportamento em geral, forma de se relacionar em grupos, forma de atuar nos trabalhos em que já esteve. Importante não estabelecer julgamento de qualidade ou defeito, apenas citar de maneira imparcial as características.

4º- Então você já tem alguma base para saber o quanto está próximo ou não do que será buscado nos candidatos na avaliação psicológica. Compare as duas listas e veja o que tem de similar entre elas (seus pontos fortes) e o que tem de muito diferente ou contraditório (pontos fracos).

O que fazer com esta análise? Uma primeira dica é: agora que você já sabe o que será necessário para o cargo, SEJA O MAIS NATURAL POSSÍVEL NA AVALIAÇÃO! Não adianta tentar forçar algo que você não é porque isso aparece na testagem. Seja você mesmo. Tudo o que for percebido como ponto fraco pode ser apresentado com uma motivação para aprender, para aperfeiçoar.

O resultado da avaliação psicológica é um parecer de “RECOMENDADO” ou “NÃO RECOMENDADO” para o desempenho do cargo. A Avaliação Psicológica segue as normas em vigor do Conselho Federal de Psicologia. Portanto, a não recomendação na Avaliação Psicológica não significa a existência de transtornos cognitivos e/ou comportamentais, indicando apenas que o candidato não atende, na época da Avaliação, aos requisitos exigidos para o exercício do cargo ao qual concorreu. O candidato é considerado “Recomendado” se conseguir atender as condições mínimas adequadas ao cargo, conforme os critérios definidos previamente pela organização do concurso.

Para quem ainda tem medo da avaliação psicológica, faça a seguinte pergunta: Por que quer mesmo exercer a função para a qual está sendo avaliado? O teor da resposta dada pode definir o quão próximo o candidato estará daquilo que o perfil para o cargo exige.
Junte-se a Milhares de Concurseiros Inteligentes e Receba Atualizações, Materiais e Dicas Imperdíveis sobre Como ser APROVADO em Concursos (é totalmente gratuito)!