ENEM 2017 (Guia Completo e Atualizado): Tudo Que Você Precisa Saber Sobre as Inscrições, Provas, Gabaritos, Resultados e Como Estudar Para Mandar Bem na Prova

Enem

O Que é o Enem?

Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) é uma prova que avalia o desenvolvimento de alunos das escolas públicas e particulares concluintes do ensino médio. O teste é elaborado pelo Ministério da Educação, que espera com a aplicação, extrair resultados analisados pelo governo para melhorar as políticas públicas de educação. 

As avaliações também geram notas individuais aos estudantes, que podem ser usadas para diversos fins de classificação educacional. Além de concluintes do ensino médio, qualquer pessoa interessada pode fazer o Enem. Independente de idade ou situação, egressos de anos anteriores e maiores de 18 anos que ainda não terminaram o ensino médio podem prestar a prova.

ENEM 2017:  GUIA RÁPIDO  

Inscrições: Quando, onde e como fazer as inscrições 

As inscrições estarão abertas entre os dias 08/05/2017 a 19/05/2017 e devem ser feitas exclusivamente pelo site http://enem.inep.gov.br. O candidato terá que informar no cadastro o número do RG e CPF, mesmo sendo menor de idade. 

Além desses documentos, será preciso oferecer um número de celular e e-mail, o município onde fará a prova e a língua estrangeira (inglês ou espanhol) para o teste de linguagens. 

Não se esqueça de ler o edital com atenção e guardar as senhas criadas, pois sempre serão requisitadas. Existe uma taxa para a realização do exame, que no ano passado foi de R$ 68,00 e pode ser paga em qualquer agência bancária, casas lotéricas ou agência dos correios. 

Candidatos que não efetuarem o pagamento no prazo serão desclassificados. Quem está concluindo o ensino médio é isento de taxa, além de que interessados de baixa renda também podem solicitar a isenção. 

Como é a prova?

O Enem acontecerá em dois dias:

- Dia 1 - Domingo - 05/11/2017 (05h30 de duração): 90 questões divididas em Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias e uma redação referente a assuntos atuais. 

- Dia 2 - Domingo - 12/11/2017 (04h30 de duração):  90 questões de Linguagens e Matemática e suas Tecnologias.

Estima-se 3 minutos para resolver cada questão e uma hora para desenvolver o texto.

Datas e horários das provas do ENEM 2017

As provas serão aplicadas nos dias 05 e 12 de Novembro de 2017 sempre as 13h00, horário de Brasília. Os locais poderão ser consultados no site: http://enem.inep.gov.br

Os estudantes inscritos também receberão em meados de outubro um cartão de confirmação da inscrição contendo locais. 

O que pode levar e o que não pode levar no dia da prova

Os participantes devem levar caneta esferográfica de tinta preta com material transparente, o cartão de confirmação da inscrição, além de lápis e borracha macia. É fundamental não se esquecer de levar também um documento original com foto válido para reconhecimento. 

Evite levar livros, aparelhos eletrônicos, acessórios como óculos escuros ou qualquer outro objeto que possa questionar a idoneidade em relação à prova. 

Gabarito: Onde e quando retirar

Os gabaritos das provas objetivas são divulgados pelo INEP no site http://enem.inep.gov.br e no aplicativo do Enem até o terceiro dia útil após as provas serem realizadas. 

Resultado (Nota da Prova): Quando e onde sai o resultado      

Os candidatos também poderão acessar o resultado individual através de senha e CPF pelo mesmo portal a partir de 19 de janeiro de 2018.

Mas Afinal, Pra Que Serve o Enem?

Além de avaliar o aproveitamento do ensino médio, a prova serve como método de habilitação da maioria das instituições de ensino superior do país, para os milhares de estudantes que a prestam.

Com a nota obtida é possível entrar em universidades federais, conseguir bolsas parciais ou integrais em faculdades particulares, estudar fora do país, entre várias outras oportunidades proporcionadas.

O exame acontece uma vez por ano e agita a vida de vestibulandos, concluintes do ensino médio e egressos que decidiram se inscrever na avaliação. Porém, os bons resultados gerados com a dedicação, podem trazer benefícios e experiências permanentes à carreira como:

Entrar em Universidades Federais (SISU)

Cada universidade federal tem liberdade para escolher como vai usar a nota do Enem em seu processo seletivo. Entretanto, muitas delas optaram pelo Sistema de Seleção Unificado (SISU) como único método de classificação. Também existem aquelas que preferem juntar a nota do exame com a de seu próprio vestibular para chegarem a uma conclusão. 

O SISU funciona exclusivamente através de um sistema informatizado do Ministério da Educação (MEC), onde as instituições públicas oferecem vagas aos candidatos interessados que participaram do Enem. 

Para concorrer a uma vaga é preciso estar atento ao período de inscrições, que ocorre duas vezes por ano. No início de cada semestre, sempre de forma gratuita e somente pelo site www.sisu.mec.gov.br.

O interessado deve ter em mãos, nesse momento, o número da inscrição e senha no Enem. Este poderá escolher até duas opções de cursos, que devido à nota de corte, conseguirá ser alterada durante as inscrições. 

A nota do exame é valida para concorrer com pessoas e cursos de universidades federais de todo o Brasil, sendo cinco dias de concorrência. Onde ao término de cada dia, o candidato poderá monitorar sua nota em relação à nota de corte do curso pretendido, para confirmar se ainda está ou não dentro do número de vagas ofertadas por aquela instituição. 

Nota de corte é a menor nota classificada para um curso, tomando como referência o número de vagas e o total de candidatos inscritos. 

Em caso negativo, é aconselhável que ele procure outra opção alternativa ao curso desejado, seja pela instituição ou por características na profissão escolhida. 

Como critério de classificação, algumas faculdades oferecem vagas reservadas e outras adotam bônus na nota do candidato. Por exemplo, determinado curso de medicina pode exigir nota maior ou igual a x para a inscrição. Ou ainda, um determinado curso de física pode dar mais peso à nota de Ciências da Natureza do que algum outro curso de física em outra universidade. Por isso é preciso saber exatamente quais a exigências da vaga pretendida para não perder oportunidades. 

Passado o tempo das inscrições, os candidatos são selecionados, respeitando o número de vagas de acordo com cada modalidade estipulada. 

Se o interessado foi classificado, ele deve se atentar ao período de matriculas, para ir até a instituição escolhida e efetuá-la. Se não, pode fazer parte de uma lista de espera, a fim de aguardar por vagas que possam surgir.

Como utilizo minha nota do Enem no SISU?

Cada universidade tem liberdade para escolher como vai usar a nota do Enem em seu processo seletivo. Entretanto, muitas delas optaram pelo SISU como único método de classificação. É preciso saber quais são as áreas mais valorizadas em pontuação no curso de interesse e se inscrever no portal, que automaticamente mostrará a nota obtida. 

Entrar em Universidades Privadas com bolsas (PROUNI)

O programa Universidade Para Todos (PROUNI), é uma medida do governo federal que dá bolsas de estudo para estudantes de baixa renda em faculdades particulares. Para participar da seleção, o aluno precisa ao menos de 450 pontos de média na prova do Enem, além de não zerar na redação. Também ter renda familiar per capita de até três salários mínimos para bolsas de (50%) e 1 salário mínimo e meio para bolsas integrais.

Alguns outros requisitos são necessários para se enquadrar ao perfil de um bolsista do PROUNI.

  • Ter cursado todo o ensino médio em escola pública;
  • Ter cursado todo ou parte do ensino médio em escola privada com bolsa integral;
  • Ser portador de deficiência física;
  • Ser professor da rede pública de ensino básico e estar concorrendo a cursos de pedagogia, normal, superior ou licenciaturas, (nesse caso, a renda familiar não é levada em consideração);

Se uma das situações acima se encaixa a realidade do estudante, então a partir disso, ele dependerá única e exclusivamente da sua nota obtida no Enem e das vagas ofertadas pelas instituições privadas. 

Criado em 2004, esse programa do MEC oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em universidades particulares nos cursos de graduação e sequenciais de formação específica para brasileiros que ainda não possuem formação superior. 

As inscrições do PROUNI acontecem numa única fase, gratuita e exclusivamente pela internet no site http://siteprouni.mec.gov.br. Para concluir o cadastro, o interessado deverá informar o número de inscrição e senha usadas no Enem. O candidato poderá escolher até duas opções de cursos de acordo com sua preferência e disponibilidade de bolsas.

O interessado que se autodeclarar indígena, preto ou pardo poderá concorrer às bolsas destinadas a política de cotas. Durante o período de inscrições, o candidato também poderá alterar as opções de cursos dependendo da nota de corte, valendo a opção que estiver no encerramento das inscrições. 

Ao fim do prazo, os estudantes são pré-selecionados em apenas uma das opções de curso escolhidas, de acordo com a ordem e o limite das bolsas disponíveis. Os agraciados deverão comparecer as instituições privadas no período de comprovação dos documentos para apresentá-los. Se estiver tudo certo como declarado, ele poderá efetuar a matricula. 

Há uma lista de espera, onde o candidato poderá aguardar pelas vagas remanescentes das duas chamadas que não foram preenchidas por desistentes, ou interessados que não conseguiram comprovar as informações prestadas na inscrição. 

O candidato a bolsas do PROUNI não precisa fazer vestibular nem estar matriculado na faculdade escolhida, porém as instituições não estão proibidas de aplicar um processo seletivo aos pré-selecionados de forma gratuita. Essa informação será dada no momento da inscrição. 

Candidatos ao PROUNI também poderão se inscrever no SISU e outros programas do governo, desde que atendam aos requisitos de participação. Alunos que não puderem pagar os outros 50% restantes da bolsa, deverão se inscrever no FIES sem a obrigação de fiador na contratação do financiamento. 

Como utilizo minha nota Enem no Prouni?

Para utilizar a nota do Enem no Prouni, o candidato precisa ter tirado ao menos 450 pontos de média na prova, além de não zerar na redação. Ele deve efetuar a inscrição no portal, escolhendo até 2 opções de cursos.

Participar do FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) funciona como um empréstimo do governo para o estudante que quer estudar ou já estuda em uma universidade privada, mas não consegue pagar a mensalidade naquele momento. Geralmente, os participantes desse programa terminam a faculdade com bolsa, e depois de 18 meses de formados, começam a pagar de volta para o governo com juros abaixo ao valor se tivessem feito um empréstimo normal. Desde 2010 é necessário ter prestado o Enem como requisito para solicitar o FIES. 

O FIES é mais um programa do MEC que visa financiar a graduação em faculdades particulares. Estudantes com avaliação positiva em seus processos podem solicitar o financiamento. Além de ter uma renda mensal per capita de até três salários mínimos, ter participado de alguma prova do Enem até 2010 com nota média a partir de 450 pontos e nota de redação superior à zero. 

Em 2010, algumas mudanças estipularam que o FIES passasse sua taxa de juros para 3,4% a.a. com período de carência de 18 meses e tempo de amortização de 3 vezes a duração do curso, acrescentado mais 12 meses. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) passou a ser o Agente Operador do Programa e as inscrições podem ser feitas continuadamente em qualquer período do ano. Desde o segundo semestre de 2015, os contratos gerados passaram a ter juros de 6,5% a.a. e o valor de até R$ 150,00 pagos a cada 3 meses durante o curso e o período de carência, referentes aos juros incidentes sobre o financiamento.

Para se inscrever é preciso acessar o sistema de seleção do FIES http://fiesselecao.mec.gov.br, gratuito e exclusivo, preencher as informações do cadastro e automaticamente, através do CPF, o sistema verificará se o estudante participou de alguma edição do Enem de agora até 2010. 

Confirmada a participação no exame e as notas mínimas para concorrência, o candidato deverá fornecer uma senha e e-mail para validação e acesso ao painel. Concluída a etapa de cadastro, o interessado deverá entrar no portal através da senha para cadastrar outras informações suas e de familiares com idade igual ou superior a 14 anos. Para concluir, o estudante deverá selecionar o curso para o qual solicita bolsa. 

O candidato pode solicitar bolsa para qualquer curso, em qualquer instituição, não sendo necessário estar matriculado para isso. Porém, ele pode optar apenas por um curso. 

Estudantes já beneficiados pelo FIES ou inadimplentes com o Programa de Crédito Educativo (PCE-Creduc) não podem participar do processo seletivo. A opção escolhida pode ser alterada até o encerramento das inscrições. A classificação de cada candidato será controlada pela nota de corte, de acordo com as vagas apresentadas, pelas notas de alunos que não tenham concluído o ensino superior.

Como nos outros processos, o interessado deverá monitorar sua inscrição, ficando válida a última opção inscrita. 

Passado o período de inscrições, o aluno é pré-selecionado, sendo que os que obtêm resposta negativa vão automaticamente para uma lista de espera, onde deverão aguardar por bolsas disponíveis. 

Os pré-selecionados deverão confirmar sua inscrição no SisFies e proceder entre a instituição e o banco os trâmites necessários para contratação do financiamento.

Como utilizo minha nota do Enem para participar do FIES? 

No Fies, o estudante deverá ter ao menos 450 pontos de média e não ter zerado na redação. Ele deverá fazer um cadastro no site, a fim de ser pré-selecionado para uma bolsa. 

Entrar em um Curso Técnico (SISUTEC)

O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (SISUTEC) funciona do mesmo modo que o SISU, com o diferencial que é destinado a quem concluiu o ensino médio e quer ingressar em um curso técnico em escolas federais, municipais e estaduais. 

O SISUTEC também é um sistema informatizado do MEC http://sisutec.mec.gov.br, por onde as instituições públicas e particulares de ensino superior e tecnológico ofertam vagas gratuitas em cursos técnicos, para candidatos participantes no Enem. O processo seletivo ocorre duas vezes ao ano. No início de cada semestre, de forma gratuita, em etapa única feita pela internet. 

Ao fazer a inscrição, o interessado deverá escolher, por ordem de preferência, até duas opções de vagas oferecidas. O candidato também deverá optar pela ampla concorrência ou pelo sistema de cotas. 

Durante a inscrição, o estudante poderá alterar suas opções, sendo que estará válida a opção inscrita no encerramento. 

Após o período de inscrições, o sistema seleciona os candidatos mais bem classificados de cada curso, de acordo com as notas do Enem. Eles serão selecionados exclusivamente em um único curso. Se houver possibilidade de nota para as duas opções, valerá à primeira. 

Serão feitas duas chamadas, onde em cada chamada os candidatos terão um prazo para efetivar a matricula, confirmando sua escolha pela vaga.

Estudar em Portugal (Universidade de Coimbra)

Desde 2014, a Universidade de Coimbra, em Portugal passou a aceitar as notas do Enem para classificar em seus cursos de graduação. São aceitas notas do exame a partir de 2012, porém a mensalidade é cobrada em Euros. 

Além de Coimbra, outras 18 instituições portuguesas adotaram o Enem como critério de seleção. Após alterações na legislação portuguesa, que permitiram as universidades a adotar classificações para estrangeiros, várias instituições firmaram acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). 

Para concorrer a uma vaga nas universidades portuguesas, o candidato não deve pertencer a nenhum local da União Europeia, nem morar legalmente há mais de dois anos de forma ininterrupta em Portugal. 

A maioria das instituições oferece três prazos de inscrições, também chamados de candidatura. A nota mínima exigida varia de universidade, assim como os gastos com mensalidades, hospedagem e alimentação. 

Em Coimbra, considerada a mais antiga do país, e primeira a aceitar as notas do exame, os estudantes devem comprovar que concluíram o ensino médio e apresentar nota mínima de 600 pontos, além de outras pontuações exigidas em cada curso específico. 

A faculdade oferece três prazos de candidatura apenas no primeiro semestre. São mais de 500 vagas para 35 opções de curso de licenciatura em praticamente todas as áreas, exceto medicina, muito procurada pelos portugueses e por isso, restrita a eles. Lembrando que, em Portugal licenciatura serve para nomear cursos superiores de forma geral, não apenas os cursos de magistério como acontece no Brasil. 

A taxa de candidatura é 50 euros e a mensalidade 700. Alguns cursos podem cobrar ainda 45 euros pelo teste de aptidão física e desportiva e 40 euros com exame médico. Também, no início do ano letivo, os alunos são submetidos a uma taxa de inscrição de 20 euros. Outras despesas com alojamento, material escolar, transporte, alimentação, etc. podem chegar a 500 euros por mês, segundo a universidade. 

As outras universidades portuguesas que aceitam o Enem em seus processos seletivos são Algarve, Instituto Politécnico de Leiria, Beja, Porto, Portalegre, Cávado e do Ave, Coimbra, Aveiro, de Guarda, Universidade de Lisboa, do Porto, da Madeira, de Viseu, de Santarém, dos Açores, da Beira Interior, do Minho. 

Participar do Ciências sem Fronteiras

Esse é um projeto do governo federal que promove a expansão e internacionalização da ciência e tecnologia através do intercâmbio e mobilização fora do país. São oferecidas bolsas em instituições estrangeiras muito conceituadas para alunos de engenharia, tecnologia, biologia e meio ambiente, prioritariamente. Para concorrer a uma bolsa é preciso ter feito no mínimo 650 pontos na prova do Enem. 

Criado em 2011, o Ciências sem Fronteiras passará por reformulação, onde atenderá estudantes de pós-graduação de todos os cursos, inclusive humanas, desde que sejam envolvidas universidades de renome. 

Também pesquisa-se a possibilidade dos melhores alunos do ensino médio fazerem cursos de línguas de pequena duração, durante as férias no exterior. Bolsas de mestrado poderão ser requisitadas nessa nova fase do programa, que ainda não tem data nem número de bolsas indicadas. Sabe-se apenas que será ainda este ano. É recomendado aos interessados que fiquem de olho nas próximas notícias sobre inscrições e beneficiados. 

Estudantes de graduação, os mais privilegiados até agora com o programa, foram excluídos do novo formato. Mais de 92 mil bolsas foram concedidas desde 2011, cujo aproximadamente 79% foram destinados para alunos de graduação. 

Obter certificado de conclusão do ensino médio

Desde 2009 o Enem emite Certificado de Conclusão do Ensino Médio, para isso é preciso expressar na inscrição o desejo de obter o certificado e indicar uma instituição certificadora. Completar 18 anos até o dia do exame, além de obter 450 pontos em cada uma das quatro áreas de conhecimento e 500 pontos na redação, no mínimo

Até 2008 o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) era o responsável por certificar adultos que buscavam um diploma de conclusão do ensino médio, porém essa função ficou com o Enem, deixando o Encceja apenas com o ensino fundamental. 

Para obter o certificado, o interessado deverá mostrar resultados do último Enem acontecido. Os candidatos devem se atentar aos prazos e requisitos de cada instituição certificadora. Com o diploma expedido, é possível concorrer a uma vaga no SISU. 

O certificado é emitido de 45 a 90 dias úteis. Nesse período, o estudante ficará com um documento provisório que permitirá a inscrição na faculdade. 

Caso o participante não alcance nota mínima em todas as provas, não poderá solicitar o certificado. Porém, poderá pedir a declaração de proficiência específica de determinada área. Assim, na próxima tentativa, não precisará de nota nas áreas em que já conseguiu. 

É muito importante procurar uma instituição certificadora tanto para conseguir as declarações quanto o certificado, pois sem ela não há garantia quanto aos certificados. 

O que estudar? Quais matérias devo estudar e quais são mais importantes?

Estudar para o Enem pode ser algo complicado se não houver preparação. Por isso, é recomendado montar um cronograma com as matérias, adequando sua rotina de vida aos pontos fortes e fracos do conteúdo.

Obviamente, a prova cobra matérias do ensino fundamental e médio, porém em 2009 o exame passou por reformulações e dividiu suas aplicações por áreas de conhecimento.

  • Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física);
  • Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia);
  • Linguagens (Português, Literatura, Língua Estrangeira, Artes e Educação Física);
  • Matemática e Redação;

Sendo que as questões podem ser interdisciplinares e abordar mais de uma habilidade, como biologia e física, por exemplo. O número de questões também aumentou de 63 em um dia para 180 em dois dias, 45 em cada área.

Entretanto, em 2017 não será necessário rever todo o ensino médio para se preparar, pois nem todos caem na prova, sendo que apenas alguns são mais frequentes e importantes. Observe o conteúdo e tente, a partir dele, traçar um cronograma.  

Ciências Humanas

História do Brasil

- Brasil Colônia

- Escravidão

- Brasil República

- Era Populista

- Era Vargas

- Ditadura Militar

História Geral

- Liberalismo

- Revolução Industrial

- Primeira Guerra Mundial

- Segunda Guerra Mundial

- Nazismo/Fascismo

- Guerra Fria

Geografia

- Agricultura (Principalmente do Brasil)

- Desenvolvimento Social

- Contrastes Sociais

- Impactos no Meio Ambiente

- Geopolítica Mundial

- Planos Econômicos

- Blocos Econômicos

- Migrações

Filosofia/Sociologia

- Política, Ética e Moral (Pensadores da Grécia Antiga).

- Iluminismo

- Existencialismo

- Contratualismo

- Fé x Razão (Santo Agostinho e São Tomás de Aquino)

- Movimentos Sociais

- Relações de Trabalho

- Marxismo

- Cultura de Massa

Ciências da Natureza

Biologia

- Ecologia e Sustentabilidade

- Aprimoramento Genético

- Genética

- Citologia

- Evolução

- Fisiologia Humana

Química

- Estequiometria

- Termoquímica

- Radioatividade

- Funções Orgânicas

- Ciclos do Carbono e Oxigênio

- Neutralidade

- Oxidação

- Equilíbrio Químico

- pH

- Soluções

Física

- Mecânica

- Eletricidade

- Energia

- Ondas

- Óptica

- Acústica

- Termofísica 

Linguagens

Português

- Gêneros Textuais

- Norma Culta x Coloquial

- Gramática x Linguística

- Semântica

- Funções da Linguagem

Literatura

- Quinhentismo

- Barroco

- Realismo/Naturalismo

- Modernismo

- Poesias Concretas

- Literatura Contemporânea

- Figuras de Linguagem 

Artes & Educação Física

- Renascentismo

- Cubismo

- Surrealismo

- Grafite

- Música

- Esportes

- Artes Marciais

Matemática

- Matemática Básica (Regra de três, proporção, etc.).

- Probabilidade

- Estatística

- Análise Combinatória

- Função do 1° Grau

- Função do 2° Grau

- Geometria Plana

- Geometria Espacial

- Trigonometria

- Álgebra

- Progressões Geométricas (PA e PG)

- Análise de Gráficos e Tabelas 

Resolver as questões anteriores e fazer simulados é de suma importância para aprender os macetes que o exame traz. 

Apostilas para o Enem

Curso Hora do Enem - Como funciona?

O Hora do Enem é um projeto criado pelo MEC com o objetivo de auxiliar os estudantes que vão fazer a prova. Ele consiste em uma plataforma onde é possível obter informações, dicas e conteúdos atualizados sobre o exame. Através do site http://tvescola.mec.gov.br/tve/serie/hora-do-enem o aluno pode conferir:

  • Boletim diário de notícias sobre o Enem; 
  • Programa de TV;
  • Vídeo resoluções de questões dos anos anteriores;
  • Vídeo aulas de conteúdos cobrados no exame;
  • Plataforma de estudos personalizada com exercícios e simulados;

Os boletins têm princípio informativo e duração de 2 minutos, enquanto que os programas de TV duram 30 minutos e tem exibição diária de segunda a sexta-feira. No canal aberto digital é possível sintonizar em Brasília pelo canal 2.3, São Paulo pelo canal 3.3 e Rio de Janeiro pelo canal 2.3.

Curso Online Enem

Como estudar? Confira 7 super dicas para garantir uma boa nota na prova

1 – Leia o Edital

É muito importante ler o edital, pois ele funciona como uma receita. Um passo a passo de onde o estudante obterá todas as informações sobre proceder em cada fase do processo. Desde as inscrições, até o resultado, o edital poderá auxiliá-lo para facilitar o entendimento e execução de datas, horários, documentos, etc. 

2 – Solucione Provas Anteriores

Como dito antes, resolver exames anteriores ajuda na preparação, pois através dos exercícios apresentados é possível criar familiaridade e métodos de resolução que seriam impossíveis de se conseguir apenas durante a prova. Facilitando a vida do estudante com macetes e dicas próprias. 

3 – Faça Simulados

Também comentado anteriormente, os simulados são uma ótima opção de ensaio para o dia do exame. Eles estão aos montes na internet, ágeis, com vários formatos e respostas ao alcance. Informando ao aluno aonde pode melhorar, além de dicas de estudo e aperfeiçoamento.

4 – Esteja Atento

Uma dica muito útil é ficar atento as matérias jornalísticas da TV, internet e revistas, pois o exame costuma abusar de eventos atuais para formular questões com objetivo de reflexão do assuntos. Outro motivo é a instabilidade pela qual passa tudo relacionado ao governo e com o Enem não é diferente, visto os dilemas acontecidos em provas passadas. 

5 – Se Planeje

Planejamento é fundamental quando trata-se de uma decisão tão permanente e cheia de caminhos quanto é a escolha da profissão. Por isso, é prioritário ter foco para escolher previamente com sabedoria algumas instituições e cursos de preferência para traçar um rumo a ser seguido no exame em relação a notas e áreas de conhecimento.

6 – Leia

Ler é a chave para conseguir um bom resultado, não apenas nesta, mas em qualquer outra prova. Pela leitura é possível assimilar informações que pareciam obsoletas e se tornam necessárias. Também funciona como um treinamento para as questões, que costumam ser grandes e contem várias referências.

7 – Pratique a Redação

Treinando a redação estará por consequência treinando também a leitura. Além do poder de argumentação e descrição de determinado assunto, fazendo de maneira breve, clara e informativa. Lembrando que os temas podem ser os mais variados possíveis, assim abrir-se para muitos nichos é um ótimo conselho. 

Redação: Como funciona e como fazer uma boa redação

Uma redação no Enem é avaliada de acordo com cinco competências. 

  1. Compreensão da proposta;
  2. Domínio da norma padrão da língua escrita;
  3. Seleção, organização e interpretação de informações;
  4. Construção da argumentação;
  5. Elaboração de proposta de solução para o problema abordado;

 

Para alcançar boas notas em todos esses quesitos é recomendado que o estudante não deixe a redação por último. Pois terá que entender o tema, além de fazer um esboço e passar a redação a limpo. Uma jornada e tanto para quem respondeu 90 questões, mais um gabarito. O tempo será outro empecilho atrapalhando pensamentos coerentes e argumentos plausíveis.

Como dito antes, mantenha-se atualizado em relação a tudo o que é notícia no Brasil e no mundo, além de respeitar o formato dissertativo-argumentativo da redação. 

Divida o texto entre introdução, desenvolvimento e conclusão, respeitando as competências avaliadas sem fugir do tema proposto. E ao final, revise a redação se atentando para possíveis erros de coesão, falta de argumentos, erros de concordância, pontuação, palavras erradas e rasuras. 

Parece difícil, mas só assim obterá uma boa nota na redação. Apesar de tudo isso, o principal segredo é treinar antes e conhecer sobre aquilo que está falando para que as palavras saiam fluidas, concisas e assertivas. 

5 erros bobos que podem arruinar a sua prova

1 – Trechos Copiados

Colocar na redação partes dos textos de referência da prova. É preferível argumentar de forma simples com as próprias palavras do que ficar citando frases prontas e trechos abordados durante o exame, pois não demonstram nenhuma criatividade nem qualquer outra competência.

2 – Ironia

Expressar a opinião de jeito esdrúxulo também não se adequa ao que é avaliado. Usar deboche, ironia e protesto não facilitarão na construção do texto que com certeza fugirá do que é requisitado. 

3 – Recados Para o Avaliador

Enviar recados para o corretor, mesmo que por descontração não é tolerável. 

4 – O Uso da Linguagem

Utilizar linguagens diferentes como o p, abreviações, internet, etc. é proibido até como criatividade, já que a norma padrão da língua faz parte das competências. 

5 – Desconhecimento de Fatos

Não saber os dados apresentados, como datas, locais e fatos históricos pode transformar uma redação com potencial em algo inverossímil. Na dúvida, não coloque! Prefira seguir por um caminho garantido. 

Apostilas para o Enem