Manter o equilíbrio é essencial

Especialistas dão dicas de como se alimentar e controlar a ansiedade durante o período de preparação para concursos públicos.



Passar em concurso público não é tarefa simples. São horas diárias de estudo, inclusive nos finais de semana, aulas em cursos preparatórios, revisões, simulados. Muita pressão e ansiedade tomam conta dos candidatos durante o período de preparação. Quando se pensa que tudo acabou, a ansiedade continua. É a espera do resultado final, os momentos que antecedem as próximas etapas da seleção, enfim, a expectativa de saber se foi ou não aprovado.

Base de uma boa preparação, o candidato a concurso público deve dar atenção a uma alimentação balanceada e equilibrada. De acordo com a nutricionista e professora da UnB Verônica Ginani, o gasto energético de quem passa uma média de seis a oito horas estudando diariamente é bastante alto. “Por esse motivo, é preciso que o cérebro receba energia, vitaminas e minerais com freqüência”, explica. Ingerir alimentos ricos em carboidratos, como pães integrais, arroz integral, cereais, além de frutas e hortaliças em abundância, garantem uma boa disposição para o estudo diário.

A especialista ressalta que o ideal é fazer seis refeições diárias, de forma equilibrada, evitando-se a ingestão excessiva de alimentos ricos em açúcar. “Trata-se de um nutriente que pode provocar sonolência e distração”, explica. Além disso, Verônica destaca que atividades físicas, aliadas à ingestão de água e de sucos naturais também aumentam a disposição. “Uma curiosidade é que comer castanha uma vez por dia ativa o metabolismo e pode auxiliar o raciocínio”, completa.

META

Segundo a especialista em Psicologia Social e do Trabalho Ione Vasquez de Menezes, é importante haver uma meta pessoal de trabalho. A partir daí, devese planejar qual carreira se pretende seguir e qual a maneira de se estudar, para que não haja frustração no futuro. “Não é interessante fazer todas as seleções sem um objetivo definido, pois a ansiedade pode ser maior”, explica. 

A professora da UnB alerta para a importância de se fazer uma escolha consciente em relação ao que se pretende da vida profissional. Para ela, não adianta querer ingressar em áreas que aparentemente oferecem mais oportunidades, pois essas podem ser ilusórias. “A lógica da segurança e da estabilidade no trabalho não podem se transformar no guia da escolha profissional”, observa.

Ione acredita que os “aulões” de cursinhos às vésperas das provas podem deixar os alunos tensos. Ela aconselha que, nesse momento, o melhor é se distrair, se descontrair, se despreocupar: “Não adianta ficar estudando, tentando resolver o problema em pouco tempo. A hora de estudar já passou. Agora é preciso dar uma desligada”. A psicóloga acrescenta ainda que fazer novos cursos e se reciclar são atitudes essenciais para todo profissional, após garantir a tão desejada vaga.