Informações Gerais
Junte-se a Milhares de Concurseiros Inteligentes e Receba Atualizações, Materiais e Dicas Imperdíveis sobre Como ser APROVADO em Concursos (é grátis)!

Perfil do Profissional da Área Administrativa


FORMAÇÃO E CARGOS

Os cargos administrativos englobam dois tipos de definição. A primeira são os postos de trabalho em que o aprovado deve exercer funções administrativas de um setor ou repartição do órgão, mas que, apesar da exigência de nível médio ou superior — de acordo com a função a ser exercida —, o pré-requisito não é restrito aos formados em Administração. A segunda definição é para os cargos voltados somente para os graduados nessa área de formação. O professor de Administração da UnB, Jorge Pinho, é favorável à exigência de um administrador de formação. “A valorização e o cuidado com a formação de administradores demonstra a importância desse profissional para o desenvolvimento econômico. No Brasil, qualquer um quer e pode administrar. Depois não sabemos por que as coisas não dão certo”, critica Pinho.

De acordo com a psicometrista Fabiana Queiroga, da Coordenadoria de Pesquisa em Avaliação do Cespe/UnB, melhorias nas seleções públicas sempre devem ser buscadas. E a melhor maneira de fazer isso é a troca de conhecimentos entre a aplicadora e a instituição.

Dois exemplos recentes são a Petrobras e o Tribunal de Contas da União (TCU). Para aperfeiçoar a definição de candidatos competentes para exercer os cargos oferecidos, houve uma captação de dados dos inscritos nas seleções dos dois anos anteriores. A pesquisa era opcional e aplicada antes da inscrição via internet, com questões sobre diversas áreas.

Embora o desenvolvimento da avaliação de perfil esteja no início, com o tempo, o acúmulo de dados deverá ajudar o órgão realizador de concurso publico a entender de onde vêm seus servidores e como adaptar melhor um servidor que acaba de ser contratado. “Além disso, será possível estruturar a prova de maneira que as competências dos candidatos possam ser medidas de forma mais complexa pelo órgão”, completa Queiroga.

Algumas instituições, como o Superior Tribunal de Justiça (STJ), começam a adotar iniciativas de banco de talentos, em que o candidato aprovado pode indicar suas aptidões e potencialidades em várias áreas de interesse técnico e pessoal. O Banco de Identificação de Talentos (BIT) mapeia as potencialidades e seleciona os servidores para processos de mudança de lotação, além de escolher perfis para desenvolvimentos de atividades educacionais.

PERFIL ADMINISTRATIVO
Independentemente do tipo de cargo administrativo a assumir, algumas exigências são comuns a esse tipo de profissional (veja quadro Perfil do Profissional). A capacidade de gerenciar as pressões e saber delegar responsabilidades é um diferencial, por exemplo. Lairton de Souza, gerente da Gestão do Efetivo da Petrobras, acredita que o conhecimento técnico prévio também é um facilitador. “A Petrobras tem um conjunto de competências requeridas. Trabalho em equipe, iniciativa, criatividade e inovação são fundamentais para uma boa adaptação e o desenvolvimento de um trabalho de qualidade”, avisa. Além disso, habilidades técnicas como elaboração de relatórios, preparação de apresentações, avaliação de projetos e estudos de caso fazem parte do dia-a-dia dos cargos administrativos. Os órgãos usualmente possuem cursos de formação ou treinamento para os aprovados se adaptarem às exigências e responsabilidades do novo posto de trabalho.

PREPARAÇÃO
Mas nada é melhor para o candidato e para o órgão que os dois se conheçam melhor. No caso de Heloisa Seraphim, técnica judiciária do STJ, essa relação começou antes da aprovação. “Estudo e serenidade são essenciais. Há um processo gradual de evolução dos candidatos, por isso, é preciso muito empenho para alcançar a aprovação”, lembra. Ao ser admitida pelo órgão, Seraphim passou por um programa de formação, que explicou o plano de gestão, os valores institucionais e informações complementares do trabalho a ser realizado.

A expectativa do candidato com relação ao novo emprego é um fator a ser levado em conta. Antes de ingressar na área administrativa, Heloisa trabalhou na Justiça do Trabalho por 13 anos. “Quando passei para o STJ, não tive grandes dificuldades. Estava acostumada com o serviço público e entrei em uma vaga alinhada com meu perfil e posto de trabalho”, explica. Conhecer o posto a ser exercido, o tipo de trabalho e as exigências internas do órgão são fundamentais para se sentir apto e satisfeito com o novo trabalho.

EXPECTATIVAS
Cursos de educação corporativa são comuns nos órgãos, para atender as necessidades e expectativas da empresa e dos novos servidores. Mas a busca dos perfis está, cada vez mais, sendo pensada antes do ingresso do aprovado, com o aperfeiçoamento dos métodos de avaliação e definições mais personalizadas de quem o órgão público pretende selecionar. “Nós não queremos saber quanto conhecimeto o candidato estocou, mas o quanto o candidato pode usar esse conhecimento para resolver situações do seu cotidiano de trabalho”, resume Joaquim Neto, diretor-geral do Cespe/UnB.


Perfil do Profissional - Cargo Administrativo
O que o mercado de trabalho espera:
· Conhecimento prévio das funções do cargo
· Organização de conhecimentos
· Gestão de pessoas
· Visão e atuação estratégica
· Capacidade de decisão
· Capacidade de negociação e comunicação
· Trabalho em equipe
· Iniciativa
· Liderança de pessoas 
· Aprendizagem e compartilhamento do conhecimento

Fonte: Rafael Baldo do Cespe/UnB
Junte-se a Milhares de Concurseiros Inteligentes e Receba Atualizações, Materiais e Dicas Imperdíveis sobre Como ser APROVADO em Concursos (é totalmente gratuito)!