Produção de Inteligência


A seqüência abaixo ilustra, de forma sintética, os diferentes níveis hierárquicos da informação, seus diferentes caminhos de evolução e o que cada nível engloba:

Dados:
classe mais baixa da informação;
matéria-prima na produção de informações;
sinais não processados;
coleta: interna ou externa.

Informações:
dados processados;
geram hipóteses e suas conseqüências;
solucionam problemas;
explanações e justificativas de sugestões;
críticas de argumentos.

Conhecimento:
aprendizado de informações;
torna informações em utilizáveis para processamento e elaboração;
pode resultar de inferência na sua própria estrutura.

Inteligência:

informação como oportunidade;
conhecimento sintetizado;
base do processo decisório;
sua efetividade é o que gera experiência.

A construção da inteligência organizacional remete à busca pelo sucesso profissional. Deve-se lembrar que toda inteligência deve ser atualizada constantemente. A eficiência do sistema de informações depende exatamente da formação dessa inteligência.

\"Infelizmente a inteligência está longe de ser definida. Além de toda a sua carga subjetiva, ela tem um componente dinâmico muito acentuado (o que era considerado inteligência no início do século, hoje não é... sem contar as \'verdades\' culturais.

\"Em 1921, uma publicação americana da área de psicologia solicitou a 14 famosos psicólogos definições sobre o que era a inteligência. Apesar da diversidade de definições, duas predominaram:
1) A capacidade de aprender com a experiência e
2) a capacidade de se adaptar às mudanças do ambiente.

\"Em 1986, outros especialistas foram convidados e repetiram as mesmas teorias de 1921: a importância da capacidade de aprender e se adaptar.

\"Hoje, os especialistas atribuem maior ênfase à metacognição, à compreensão e ao controle que as pessoas têm de seus processos de raciocínio, traduzidos na capacidade de solucionar problemas e de tomar decisões. Outro ponto forte da definição moderna da inteligência é a ênfase no papel da cultura. O que é considerado inteligente em uma cultura pode ser considerado estúpido em outra. O comportamento que leva ao sucesso em um ambiente pode levar ao fracasso em outro.\" (CARDOSO, Vencer!, maio/2001, p. 37-38).

A definição acima em muito se identifica com a prática organizacional.  JOSÉ CARLOS BOICZUK REGO, na \"Vencer!\" de fevereiro de 2001, ao falar sobre os três \"Cs\" que trazem o sucesso, coloca o conhecimento como um deles. Os três \"Cs\" seriam o CONHECIMENTO, a CONTRIBUIÇÃO e o COMPROMETIMENTO.17

Há que se lembrar que, segundo MORESI ((2000), é o conhecimento sintetizado que compõe a inteligência. Mas, o mesmo MORESI (2000) afirma que a experiência também forma a inteligência, e a experiência vem exatamente de uma vivência organizacional de conhecimento, contribuição e comprometimento. É também de MORESI (2000) a adaptação do referencial multivisão de AVISON & TAYLOR (1997).

\"O referencial multivisão (Avison & Taylor, 1997), que consiste em uma abordagem contingencial, é mais adequada que as demais, por ser uma técnica exploratória neste tipo de atividade. Ela oferece um referencial que orienta o analista na escolha das técnicas e das ferramentas para a solução de qualquer situação-problema e também recomenda documentação e outras normas. Existem várias situações em que este método foi usado com sucesso.\" (MORESI, 2000, p.22)

Assim, MORESI (2000) passa a sugerir que, no planejamento e no desenvolvimento de seu sistema de informação, a organização considere uma análise que capacite conclusões sobre: a estratégia de implantação do sistema, a organizacionalidade dos aspectos referentes às necessidades de informação da organização, sua importância em relação a geração de economia e aumento de produtividade, e a capacitação tecnológica, de forma a acompanhar a evolução.

Com isso, o referencial multivisão toma um formato de quebra-cabeças, fazendo a integração de cinco aspectos da importância da informação nas organizações, a saber: a) Análise Organizacional, b) Análise e Projeto Sóciotécnico, c) Desenvolvimento de Sistemas de Informação, d) Modelagem e Análise da Informação, e e) Projeto e Implementação Técnica. A cadeia de valor aparece, então, como o conjunto das atividades executadas no \"sistema de informação, proporcionando sustentação ao processo decisório de uma organização\". (MORESI, 2000)

No esquema de MORESI (2000) para a cadeia de valor, \"O fluxo da informação em uma organização é um processo de agregação de valor, e o sistema de informação pode ser considerado como a sua cadeia de valor, por ser o suporte para a produção e a transferência da informação.\"

Apostilas Mais Vendidas

Conteúdo Em Destaque

Acha Difícil Passar em Concursos? Conheça o Curso Onde Você Aprenderá Rapidamente a Passar em Qualquer Concurso Público Estudando Apenas 2 Horas Por Dia!