A Grande Crise Chegou


Dia e noite. Inverno e verão. Amor e ódio. A vida é cíclica e a economia também o é. Os períodos de prosperidade são acompanhados de otimismo, onde os riscos são negligenciados e aumenta-se o nível geral do endividamento.

Há os pequenos e os Grandes Ciclos Econômicos. No gráfico abaixo podemos ver claramente um pico de endividamento (nos EUA) logo após a GRANDE CRISE DE 1929. Para diminuir o endividamento, foram impostas aos bancos sérias restrições, que lhe aumentaram a solidez, mas lhes diminuíram os lucros. O sacrifício durou até meados do século XX.

"Observe o gráfico abaixo que mostra a evolução da soma das dívidas das famílias, corporações e do governo dos EUA em relação ao Pib daquele país, desde a década de 20 do século passado até os tempos atuais."

Gráfico
Fonte da imagem e parágrafo que o antecipa: http://tradinginblog.blogspot.com/2008/10/culpa-do-gro-de-areia.html

Assim que a CRISE de 1929 ia ficando distante, os bancos americanos foram se libertando das amarras. Usando o poder do dinheiro, que financia as campanhas eleitorais.

O primeiro sinal de que o Mercado Financeiro não era tão racional, como se imaginava, veio com a quebra do LTCM, em 1998. O fundo era tão alavancado que seu patrimônio líquido de US$ 5 bilhões o levou a adquirir ativos de US$ 1,25 trilhões. Uma insanidade.

Em 2000 veio o estouro da Bolha da Internet e com ela a queda das ações de quase todas as empresas. Em meados de 2006 os preços dos Imóveis pararam de subir e o estouro da Bolha Imobiliária ganhou força com a quebra do Lemahn Brothers, em setembro de 2008. A crise foi tão grande que atravessou o Atlântico Norte e desembarcou na EUROPA.

Os governos fizeram das tripas coração para salvar seus bancos e empresas. Mas agora são eles que estão doentes. Os PIIGS (Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha) estão em sérios apuros, com DÍVIDAS PÚBLICAS e EXTERNAS impagáveis.

No gráfico abaixo pode ser vista a irracionalidade do Mercado Financeiro, que alocou mais recursos para Portugal e Grécia do que para o Brasil, mesmo sabendo que o Brasil possui potencial e população vinte vezes maior.

Grafico

A situação é tão grave que os dois maiores credores da Grécia (Alemanha e França) já autorizaram o calote, que está sendo negociado com os bancos e seguradoras, os quais arcarão com grandes prejuízos.

O calote grego vai danificar a já combalida saúde do Sistema Financeiro Europeu e Americano, além de contaminar outros países em situação semelhante. Seguramente, será detonada uma nova GRANDE CRISE MUNDIAL, de proporções equiparáveis a de 1929 e a de 2008.

SapoiaSobre o Autor

PAULO CÉSAR PEREIRA (SAPOIA) - Engenheiro Civil, aprovado em 26 concursos, autor do site da TÉCNICA DO CHUTE, já teve mais de 4 milhões de visitas no YouTube. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.