A Morte de Osama Bin Laden


Depois dos atentados de 11 de setembro, ficou confirmada a presença do comando da organização terrorista Al-Qaeda, chefiada pelo saudita Osama Bin Laden, em território afegão, contando inclusive com a conivência do Talibam. Com isso, George Bush organizou e executou uma intervenção militar no Afeganistão. Em dezembro de 2001, o Talibam foi derrubado do poder e foi instalado um governo provisório comandado pelo presidente Hamid Karzai.

Em outubro de 2004, Karzai ganhou as eleições e iniciou um novo governo, porém o presidente afegão teve de enfrentar uma dura realidade, envolvendo problemas sociais e falta de infraestrutura do país. Atualmente, fora de Cabul, quem domina são as centenas de milícias armadas existentes por todo o interior do país. Sendo assim, percebe-se que o modelo de democracia ocidental, imposto pelos norte-americanos como único sistema ideal de governo, demonstra sua real fragilidade e ineficiência frente à realidade do Afeganistão, um país onde religião e política se misturam, onde conceitos básicos da democracia, como liberdade de expressão, direitos iguais a todos, são apenas conceitos teóricos fora da realidade afegã.

Em maio de 2011, o principal objetivo da guerra foi atingido, após quase dez anos de operações e aproximadamente US$ 400 bilhões gastos, de acordo com as informações fornecidas pelo governo norte-americano, o principal líder da Al Qaeda, Osama Bin Laden, foi localizado e morto em um ataque militar na cidade de Abbottabad no Paquistão.

O sucesso da operação provocou uma onda diversificada de reações pelo mundo, desde protestos populares realizados no próprio Paquistão até congratulações por parte de chefes de estado de vários pontos do mundo ao presidente Barack Obama.

O anúncio da morte do líder da Al-qaeda irá fortalecer a imagem de Obama internamente, aliás essa notícia veio em momento providencial por dois motivos. Um que o prazo estipulado pelo próprio presidente Obama, previsto para julho de 2011, de iniciar a retirada das tropas do Afeganistão estava chegando ao final e o outro motivo é que devido ao baixo crescimento econômico e alto índice de desemprego dos EUA no pós crise, onde Obama amargava uma baixa popularidade. De acordo com um artigo do New York Time, a morte do saudita Bin Laden tem um significado muito importante pois permite a Obama reivindicar a maior vitória contra o terrorismo depois dos atentados de 11 de setembro.

A morte de Osama Bin Laden também dá fôlego a Barack Obama para a campanha presidencial para 2012, assim como pode ser que tenhamos até mesmo uma trégua momentânea entre governo e parlamento, que é de maioria Republicana. Com isso o governo Obama da uma resposta às freqüentes acusações do Partido Republicano de que a política diplomática de Obama não iria alcançar objetivos concretos na guerra contra o terrorismo. Depois do anúncio da operação, o governo Obama já estuda como será o cenário de ações pós a morte de Bin Laden no Afeganistão, certamente a Al-Qaeda não deixará de atuar e o risco de um atentado como resposta deverá ser tratado como iminente, uma retirada de tropas mais rápida vai depender das reações que possam acontecer no Afeganistão e existe também a possibilidade de um acordo político com o Talebã para a formação de um novo governo.


Márcio VasconcelosSobre o Autor

Prof. Marcio Vasconcelos - Autor do livro Conhecimentos Gerais e Atualidades, da Editora Ferreira, é licenciado e bacharelado em História pela Universidade Gama Filho e pós-graduado em Administração Escolar pela Universidade Cândido Mendes.