III - Análise de Pegadinhas - Conceitos e Exemplos Práticos


Na aula anterior, apresentei um desafio a vocês através de uma narrativa denominada "As Quatro Fontes de Luz". Quem não a tiver lido, clique no link para a aula anterior e leia. Do contrário não entenderá nada do que será explicado aqui.

Observem que a pergunta proposta foi: O QUE se deve acender primeiro e não QUAL (objeto) deve ser aceso primeiro? Isso quer dizer que a sua escolha NÃO está limitada aos quatro objetos. Portanto a resposta correta é:

O PALITO DE FÓSFORO!

Observem ainda que no texto o protagonista acendeu o cigarro com o PENÚLTIMO palito. Ou seja, só ficou o ÚLTIMO palito na caixa.

Esse tipo de estrutura de pegadinha eu chamo de "Pegadinha de Detalhe" ou pegadinha do detalhe não percebido. No meu método de classificação dos tipos de pegadinhas baseado nas suas estruturas atribuí a ele o código [DET] - Mais adiante explicarei o porquê de tais códigos.

Nessa estrutura de pegadinha, a técnica consiste em dar a informação sobrecarregada com um monte de outras informações inúteis que só servem para desviar a atenção. No caso, o quadro com o retrato, a palavra "Lampoon" na blusa da mulher...

Reparem que "Lampoon" é parecido com "Lampião" o que insere mais um elemento de dúvida na mente do candidato. Só que essa palavra inglesa não tem absolutamente nada a ver com lampião. Significa um artigo com uma sátira agressiva contra uma pessoa ou instituição. Por exemplo, o conteúdo de uma recente entrevista do Senador Jarbas Vasconcelos à Veja (ou foi a Isto é?) afirmando que a maioria dos políticos do PMDB são corruptos, se tivesse sido totalmente escrito por ele em um artigo ou carta e acrescido de uma pitada de ironia seria um "Lampoon". Nada a ver com lampiões nem com cangaceiros ou (Argh!) parlamentares...

Observe ainda que quem cria uma pegadinha como essa pretende de certa forma guiar o fluxo mental de quem vai tentar solucioná-la, para determinada direção. No caso a ideia era produzir uma associação mental entre a palavra inglesa "Lampoon" e a palavra "Lampião". Para confundir ainda mais, é claro.

Vamos examinar um pouco mais a questão à luz da Análise de Pegadinhas. Vejam o desafio abaixo proposto pela CESPE para questão de Direito Administrativo numa prova para o STM há cinco anos atrás:

ANALISTA JUDICIÁRIO - STM - 2004 (CESPE)

Estado-membro da Federação firmou contrato de estágio em programa de saúde pública que prevê a remuneração aos estudantes de medicina vinculada à dos médicos residentes, com valor de R$2.000,00. Nessa  situação, não poderá o Estado, no curso do contrato, romper a igualdade, determinando o pagamento aos estagiários de valor inferior, o que constituiria violação ao princípio da boa-fé, dentre outros.

Resposta: Correta

Tipo: [DET]

Onde está a pegadinha? Eis aqui uma pegadinha destinada principalmente ao candidato bem preparado. A maioria dos que estudam e conhecem a Constituição Federal conhecem bem o artigo 37, inciso XIII (com redação determinada pela Emenda Constitucional n° 19 de 4 de junho de 1988) que diz o seguinte:

 "É vedada a vinculação e a equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público".

O detalhe está no fato de que o contrato vinculou à remuneração dos médicos residentes à dos estagiários e a lei proíbe essa espécie de vinculação apenas ao pessoal do serviço público. Ora, estagiários não são servidores públicos, portanto a norma legal a eles não se aplica.

A Administração, portanto, está obrigada a manter o contrato e não poderá, como afirma a questão romper a igualdade, o que torna a questão correta.

Observe que se não se tratasse de estagiários mas de alguma categoria de servidores públicos estaduais, técnicos de enfermagem, por exemplo, tal vinculação seria ilegal e a questão estaria incorreta..

O DETALHE COMO PRINCIPAL ELEMENTO DA ESTRUTURA DA PEGADINHA

Como vimos, trata-se de uma pegadinha de Detalhe [DET]. Em geral esse tipo de armadilha tem por objetivo "pegar" o candidato distraído, mas em certos casos, como no deste exemplo, o alvo é justamente o candidato bem preparado. Qual o motivo de eu afirmar isso?

Percebam que se o candidato não conhecer o inciso XIII do Artigo 37,que fala sobre a proibição da vinculação e equiparação das "espécies remuneratórias" ele não poderá sequer cair na pegadinha.

Um candidato completamente despreparado que resolvesse usar o método do "cara ou coroa" para responder a questão provavelmente teria até mais chances de acertar. Como é questão do tipo Certa ou Errada, a chance dele seria 50%.

Já o candidato estudioso, familiarizado com aquele texto da Constituição que deixasse passar o "insignificante" detalhe de que estagiários não são funcionários públicos (já que a norma em questão só a estes é aplicável) teria uma probabilidade muito maior de errar. Sem prestar atenção ao detalhe a tendência é achar que a questão está incorreta.

Isso nos remete a um conceito importante para a Análise de Pegadinhas: o de Destinatário ou "Alvo" da pegadinha, conceito esse, estreitamente relacionado a um outro sobre o qual falarei depois: o da "Relatividade" das pegadinhas.

O "Alvo" de uma pegadinha não precisa sempre ser um tipo específico de candidato. Pode depender também do estado mental ou emocional da pessoa em determinado momento.

Por exemplo, uma pegadinha com um enunciado que use uma linguagem difícil com estruturas sintáticas complicadas apenas para dificultar o entendimento do que a questão pede, pode ter um efeito totalmente diferente se for abordada nos momentos iniciais da prova, ou depois de quatro horas e meia de contínuo esforço mental, quando o candidato já está meio esgotado e com mais dificuldades para se concentrar. Nesse caso, ele se torna "alvo" da pegadinha que é criada também com o objetivo de explorar esse estado mental.

Nesse exemplo fictício, o alvo da pegadinha é o candidato cansado; no da questão acima o alvo é o candidato bem preparado.

Há diversos tipos de Alvos de pegadinhas. Exemplos são, o candidato cansado, o candidato que confia demais na memorização em detrimento da compreensão (o bom na "decoreba"), o candidato bem preparado (quando ele precisa ter um bom conhecimento de alguma coisa para poder errar e cair na pegadinha), o candidato que tenta usar a lógica ou o bom senso para "chutar" uma resposta e o candidato distraído, este último o eterno alvo das pegadinhas de detalhe.

Portanto, até aqui, vocês já têm alguns conceitos que podem servir como guia na batalha contra as pegadinhas:

TIPO - Como as estruturas das pegadinhas são limitadas, é possível classificá-las em tipos.

ALVO - Tipo de candidato ou de estado mental em que o candidato se encontre momentaneamente, que o torna particularmente propenso a cair
na pegadinha.

RELATIVIDADE - Pegadinhas muitas vezes são relativas. Uma questão pode encerrar uma pegadinha para determinada pessoa e não ter
pegadinha alguma para outra. Ou mesmo para a mesma pessoa, dependendo do estado mental em que ela se encontre em determinado momento.

CÓDIGO DO TIPO - O código do tipo de pegadinha é apenas uma forma que inventei para ajudar a fixar na minha própria mente os diversos tipos
de pegadinhas. Como funcionou muito bem comigo resolvi utilizá-lo como recurso adicional. Ele consiste em 3 letras que de alguma forma
lembram a palavra que descreve o Tipo da Pegadinha. No exemplo o código da pegadinhas é [DET] de "detalhe".

Nos meus livros e no e-book gratuito que vocês podem baixar no meu site, os códigos tanto são representados dessa forma como graficamente através de um tipo de botão que serve para destacar o tipo da pegadinha.

Finalmente, aquilo que todo concurseiro ou estudante em geral conhece por "chute" é algo que também é estudado e levado a sério pela Análise de Pegadinhas. Não apenas porque quando feito de forma inteligente pode aumentar as chances de acerto, como também porque muitas pegadinhas tem por alvo aqueles candidatos que sabem só parte do assunto e precisam chutar para tentar garantir o ponto o que pode ser feito através de várias técnicas, como por exemplo, por eliminação, ou utilizando o bom senso.

Pois bem, determinados tipos de pegadinhas objetivam induzir o candidato ao erro exatamente nesse momento. O estudo das pegadinhas é realmente fascinante!.

Vou parando por aqui para não ficar muito chato. Depois apresentarei alguns outros exemplos de pegadinhas, tanto [DET] como de outros tipos que aos poucos vocês irão conhecer.

Eric Savanda