Governo do Mato Grosso cancela concurso por confusão nas provas

Falta de organização, tumulto e muita confusão marcaram as provas do maior concurso da história do Mato Grosso (10 mil vagas) aplicadas neste domingo (22/11/2009).

Faltaram salas para acomodar os candidatos e houve atraso na entrega das provas. Algumas localidades nem chegaram a receber as avaliações. Além disso, em determinados lugares, os exames que deveriam ser entregues à tarde foram disponibilizados aos candidatos no período da manhã. As irregularidades aconteceram principalmente em Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis.

Por conta disso, o governo do Mato Grosso decidiu cancelar as provas e remarcar para outro dia. A nova data devem ser divulgadas na próxima quarta-feira (25/11/2009).

A decisão foi tomada após a reunião, por volta do meio-dia de domingo, do comitê de crise do concurso, formado por integrantes do Governo e da Unemat (Empresa responsável pela organização do concurso).

Segundo o secretário de administração do estado, Geraldo de Vitto, essa foi a decisão mais acertada com o intuito de não prejudicar nenhum candidato e de todos terem as mesmas chances de concorrência. "Não seria possível, após o tumulto ocorrido na manhã de hoje em uma universidade pública e outras denúncias, continuar com as provas”, lembrou de Vitto.

Segundo ele, os candidatos que não quiserem mais participar do concurso poderão entrar com um pedido de ressarcimento do valor da inscrição, no caso daqueles que pagaram.

A expectativa do governo é que as provas sejam aplicadas ainda este ano, já quem em 2010 há a necessidade do cumprimento do calendário eleitoral.